Mais de um idoso por dia é vítima de maus-tratos e ameaças em Manaus

25/09/2012 21:08

 

Manaus - De janeiro a agosto deste ano, já foram registrados 320 denúncias de violência contra idosos em Manaus,  73% do total de denúncias feitas em todo o ano de 2011 (438). O número representa mais de um caso por dia. Maus-tratos, ameaça e discriminação são as principais ocorrências. “Esse aumento se deve, porque o idoso está mais informado. Ele está procurando mais os seus direitos”, afirmou o titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra o Idoso (Decci), Hipólito Cordeiro.   

Da última segunda-feira até ontem foram contabilizadas oito queixas a mais. Uma delas, foi o caso da aposentada Graciete Teixeira Pena, 87, que morreu por inanição na casa onde morava na última segunda-feira à noite. De acordo com a polícia, o suspeito dos maus-tratos contra a idosa, Fausto Roberto Teixeira Pena, 59, era filho de criação dela. “Os autores da violência contra o idoso, geralmente, são os parentes: filhos, netos”, disse.

As denúncias são normalmente feitas pelo disque 100 ou mesmo por demanda espontânea que, geralmente, é realizada pelo parente da vítima, vizinhos e, em menor caso, pelo próprio idoso. “Geralmente, o idoso não procura a delegacia para denunciar”, disse.

O delegado explicou que, após receber a denúncia,  uma equipe da Decci vaia até a casa da vítima, para verificar a situação. “Caso se confirme, os envolvidos são notificados e é feito o procedimento cabível”, informou.

Segundo ele, se o crime tem uma pena máxima de até dois anos, como por exemplo maus-tratos quando não se tem morte ou discriminação, o procedimento é um Termo de Circunstanciado de Ocorrência (TCO). “Mas no caso de maus-tratos com morte, é instaurado um inquérito policial”, explicou.

Segundo o Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Amazonas existem 210.225 mil idosos, o que representa 6,08% da população. No Brasil são quase 21 milhões. O que equivale 10,79% da população.

A população idosa vem crescendo, segundo dados do Ministério da Saúde (MS). A estimativa é que  em 2020, 15% da população brasileira seja idosa. Mas as políticas públicas não vêm sendo voltadas para acompanhar essa demanda, segundo a assistente social da Secretaria de Assistente Social e Cidadania (SEAS), Graça Bayron. “A tendência é ter mais idosos que vão ficar a mercê da sorte. Precisa de ampliação de instituições de longa permanência, que são os asilos, para que possa receber essa demanda”, disse. 

População está envelhecendo e não há política

Em Manaus existem apenas dois asilos. Um é a Fundação Dr. Thomas, localizado na Rua Maceió, zona centro-sul e o outro é a Sociedade São Vicente de Paula, localizado no bairro São Raimundo, zona oeste.

A Fundação Dr. Thomas tem capacidade para 120 idosos e 100 pedidos de admissão. De acordo com a assessoria de imprensa, a fundação não tem como atender a demanda e que, geralmente,  abrem-se duas a três vagas. O principal critério para entrar na fundação é o idoso que não tem condição de sustento e não apresenta vínculo familiar. Para isso,  a instituição apresenta uma comissão de admissão, que vai até a casa do idoso e avalia as condições onde  mora. Apenas alguns casos são determinados pelo Ministério Público.  

Já o asilo São Vicente de Paula tem capacidade para 50 idosos, mas por apresentar problemas na estrutura da casa, atualmente, abriga apenas 25. “Temos que realizar uma reforma na casa para seguir o que rege o Estatuto do Idoso como, por exemplo, criar rampas. Estamos à procura de alguém que seja voluntário para concretizar esse nosso projeto”, disse a diretora  Lucrécia Vitória.

O perfil do idoso  é o que não tem mais família. “Estamos recebendo apenas o idoso independente, justamente por causa desses problemas na nossa casa”, disse.

FONTE: NOTICIAS AMAZONAS

www.d24am.com/noticias/amazonas/mais-de-um-idoso-por-dia-e-vitima-de-maustratos-e-ameacas-em-manaus/69184